NATAL

A VERDADE POR TRÁS DA HISTÓRIA

Por Valter França

         Muitas pessoas não conhecem a verdadeira historia sobre o natal, e inocentemente comemoram este dia, sem saber o que há por trás dele e de seu sibolismo. Este estudo visa esclarecer que tal ato é contrário a palavra e vontande de Deus, e Ele quer que saibamos a verdade (Jo 8:32).

          Para falar do natal, é preciso voltar ao tempo de Noé, após o dilúvio; quando seu filho Cam, o viu dormindo, embriagado e nu. Ele começou a rir de seu pai e correu para contar a seus outros irmãos, Sem e Jafé. Que, ao contráriode seu irmão, foram de costas até Noé e cobriram a nudez do pai.

       Noé, quando soube do acontecido, amaldiçoou seu filho Cam (Cão), para que ele e seus descendentes servissem a seus outros dois filhos. E toda a geração após ele se tornou maldita.

Cam teve um filho, Cuxe. E  Cuxe casou-se com Semíramis (também conhecida como “Ísis a deusa do amor” ou a “deusa lua”); e os dois geraram um filho, Ninrode

        Quando Cuxe morreu, pai de Ninrode, Semíramis intitulou-se deusa, por afirmar que o marido era um deus. Buscava reverência para si própria, apresentando-se como a “Deusa Lua” (Ishtar).

Ninrode casou-se com sua mãe; foi o fundador da Babilônia, Nínive e de outras cidades pagãs; tentou levantar a torre de Babel, e Deus o impediu. Seu tio-avô Sem o matou, pois Ninrode muito se opunha à Deus.

 Semíramis, sua mãe e esposa, espalhou a mentira de que ele não havia morrido, e sim, que havia ido para o céu, pois ele se dizia deus – o deus sol. Semíramis engravidou e afirmava ser uma reencarnação de Ninrode, um presente dos deuses. Mas na verdade, era fruto de uma traição, pois seu marido e filho, Ninrode, já estava morto.

 

25 de Dezembro

 

           E nasceu Tamuz, no dia 25 de dezembro, o deus sol dos egípcios, babilônicos, gregos, persas e romanos.
          Semíramis se apaixonou pelo filho; mas, de 14 para 15 anos, ele acabou morrendo quando estava caçando, devido ao ataque de um porco selvagem; seu corpo foi encontrado em cima de um tronco apodrecido.

Semíramis, para não perder a majestade e a glória do filho, disse que Thamuz foi morar com seu Pai. Com isso, Tamuz tornou-se deus e adorado depois de morto. Semíramis era adorada como a “Rainha dos Céus”, enquanto Ninrode era o “deus sol” e seu filho Thamuz era o “filho do sol”.

 

               

     Semíramis e Tamuz (Reencarnação de Ninrode)            Columbia Pictures (alusão a deusa)

 

Ez 8: 14,18 – “E levou-me à entrada da porta da casa do Senhor, que está do lado norte, e eis que estavam ali mulheres assentadas chorando a Tamuz. E disse-me: Vês isto, filho do homem? Ainda tornarás a ver abominações maiores do que estas. E levou-me para o átrio interior da casa do Senhor, e eis que estavam à entrada do templo do Senhor, entre o pórtico e o altar, cerca de vinte e cinco homens, de costas para o templo do Senhor, e com os rostos para o oriente; e eles, virados para o oriente adoravam o sol.”

 

          Veja que no versículo acima tratam-se de vinte cinco homens, o que faz referência a data de 25 de Dezembro.

     Os primeiros indícios da comemoração de uma festa cristã litúrgica do nascimento de Jesus em 25 de dezembro datam a partir do Cronógrafo de 354.

     Essa comemoração iniciou-se em Roma, enquanto no cristianismo oriental o nascimento de Jesus já era celebrado em 6 de janeiro, em conexão com a Epifania do Senhor.

    A comemoração em 25 de dezembro foi importada para o oriente mais tarde. Em Antioquia por João Crisóstomo, no final do século IV,  provavelmente em 388; e em Alexandria somente no século seguinte. Mesmo no ocidente, a celebração da natividade de Jesus em 6 de janeiro, parece ter continuado até depois de 380. No ano 350, o Papa Júlio I levou a efeito uma investigação pormenorizada e proclamou o dia 25 de Dezembro como data oficial e o Imperador Justiniano, em 529, declarou-o feriado nacional.

       É improvável Jesus ter nascido no dia 25 de Dezembro, pois o evangelho de Lucas 2,8-11 narra o nascimento de Jesus: "Naquela região havia pastores que estavam passando a noite nos campos, tomando conta dos rebanhos de ovelhas.”

     Sabemos que no Oriente Médio, na Palestina mais precisamente, o mês de dezembro se encontra em pleno inverno, portanto, faz muito frio na região e ninguém fica exposto ao tempo. Os pastores e seus rebanhos se recolhem nas grutas, abundantes na região, para se abrigarem e estarem em torno do fogo. No mês de outubro iniciam-se as chuvas na região, e com elas o frio. No mês de Novembro os pastores já não vão mais ao campo, pois no inverno já não existem mais pastagens, tudo se torna inseguro e perigoso para o rebanho.

        O evangelista Lucas, em seu evangelho em 2, 1-3, diz que José e Maria estavam indo de Nazaré, na Galileia, para a cidade Belém (na região da Judéia) porque o imperador Cesar Augusto, através de um Edito, havia decretado que todos se alistassem em sua cidade natal, a fim de que fosse feita uma contagem geral da população (recenseamento).

     Na realidade isto serviria não só para controlar o número de habitantes, mas para saber como estava a cobrança dos impostos. Pergunta-se neste momento porque o imperador Cesar Augusto faria o recenseamento justamente no inverno, com todas as adversidades de locomoção? Também se poderia perguntar por que Deus faria que seu filho, Jesus, nascesse no período invernal, onde não haviam condições humanas favoráveis para se caminhar por montes e desertos numa distancia de mais de 100 km até Belém?

        Em nenhum momento Jesus Cristo pede que se comemore o seu nascimento e, sim, que celebremos a Ceia do Senhor até que Ele volte, relembrando a sua morte e ressurreição (Lc 22.17-19).

       Após vários anos enganando os cristãos despreparados, o paganismo assume a adoração única e exclusiva ao “Papai Noel”. Dê uma passada pelos shoppings. O cenário montado em torno do Natal é outra situação fora da nossa realidade. Guirlandas, neve e frio, chaminés, e tantos outros objetos típicos, não têm nenhuma relação com o Oriente Médio onde Jesus nasceu, mas com a Europa, lugar onde São Nicolau ganhou status de "santo". Chega a ser ridículo ver brasileiros vestidos com roupas do inverno europeu, sob o intenso calor do verão tropical.

Na primeira carta a Timóteo, Paulo escreve para que não se deem a fábulas ou a genealogias intermináveis, que mais produzem questões do que edificação de Deus, que consiste na fé; assim o faço agora (Tm 1:4). em 4:7 ele diz "Mas rejeita as fábulas profanas e de velhas e exercita-te a ti mesmo em piedade".

       Em II Pedro 1:16 , ele diz "Porque não vos fizemos saber a virtude e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo fábulas artificialmente compostas, mas nós mesmos vimos a sua majestade".

Papai Noel

            Diz a história que o bom velhinho foi inspirado na figura de um bispo, que de fato existiu. São Nicolau nasceu no século 3, em Patras, na Grécia. Quando seus pais morreram, ele doou todos os seus bens e optou pela vida religiosa. Com apenas 19 anos, foi ordenado sacerdote e logo tornou-se arcebispo de Mira.

         Dizia-se que na cidade em que ele nasceu viviam três irmãs, que não podiam se casar por não ter dinheiro para o dote. O pai das meninas resolveu então vendê-las, conforme fossem atingindo a idade adulta. Quando a primeira ia ser vendida, Nicolau soube do que estava acontecendo e, em segredo, jogou através da janela, uma bolsa cheia de moedas de ouro; que acabou caindo numa meia, que havia sido posta para secar na chaminé. A mesma coisa aconteceu quando chegou a vez da segunda. O pai, afim de descobrir o que estava acontecendo, permaneceu espiando a noite toda. Ele então reconheceu Nicolau, e pregou sua generosidade a todo o mundo.

         A fama de generoso do bom velhinho, que foi considerado santo pela Igreja Católica, transcendeu sua região; as pessoas começaram a atribuir a ele todo tipo de milagres e lendas. Em meados do século 13, a comemoração do “dia de São Nicolau” passou da primavera para o dia 6 de dezembro, e sua figura foi relacionada com as crianças, a quem deixava presentes vestido de bispo e montado em um burro. Na época da Contra-reforma, a Igreja católica propôs que São Nicolau passasse a entregar os presentes no dia 25 de dezembro.                                                                                                                                                                          

        O símbolo de “Santa Claus” (referência a São Nicolau) foi logo utilizado pela publicidade comercial. Em 1931, a Coca-Cola encomendou ao artista Habdon Sundblom a remodelação do Santa Claus de Thomas Nast (responsável pela criação da imagem do Papai Noel). Sundblom se inspirou em um vendedor aposentado e assim nasceu - de uma propaganda da Coca-Cola - o Papai Noel conhecemos hoje.

Crianças são enganadas, ano após ano, acreditando que o Papai Noel conhece o que querem ganhar no natal, e que é responsável por atender os seus pedidos, entregando - no mesmo dia - presentes a todas elas, não importando em que lugar estejam. Elevando o Papai Noel a atributos que somente Deus possui, como a onisciência, onipresença e onipotência.

       Veja o que a bíblia tem a dizer sobre estes atributos que pertencem somente a Deus: 

  • Onisciência

“O além e o abismo estão descobertos perante o SENHOR; quanto mais o coração dos filhos dos homens!” (Provérbios 15. 11). Este é apenas um texto que mostra que nada escapa ao conhecimento de Deus, nem o que acontece aparentemente longe (além, abismo), nem o que acontece aparentemente perto (dentro do coração do homem).

  • Onipresença

“Acaso, sou Deus apenas de perto, diz o SENHOR, e não também de longe? Ocultar-se-ia alguém em esconderijos, de modo que eu não o veja? —diz o SENHOR; porventura, não encho eu os céus e a terra? —diz o SENHOR.” (Jeremias 23.23-24). Claramente vemos que não há como escapar da presença de Deus. Ele está em todos os lugares. Nem o melhor esconderijo seria capaz de estar afastado da sua ciência e da sua presença. Deus vê tudo!

  • Onipotência

“Jesus, fitando neles o olhar, disse-lhes: Isto é impossível aos homens, mas para Deus tudo é possível.” (Mateus 19. 26). Não há tarefa que seja difícil para Deus.

Árvore de Natal e a Prática de dar Presentes

 

        Em toda parte, para muitas pessoas, no período natalino, a árvore de Natal se torna necessária. Um pinheirinho todo adornado com lâmpadas, bolas coloridas, algodão imitando neve, pisca-pisca, etc.

               Em torno da árvore o presépio e ao seu pé, os presentes. Há também as velinhas acesas (substituídas pela iluminação elétrica). Na maioria das vezes, a árvore é artificial; mas ela está aí, tendo na ponta sua marca distintiva: uma estrela brilhante, e todo um clima a seu redor, que fala bem alto: É Natal!

               Mas sua origem remonta há muitos anos atrás:

Semíramis, considerada a mãe do deus sol, ordenou a todos da sua terra (Egito - Assíria) que 10 dias antes da data do aniversário de Ninrode (25 do ultimo mês do ano, “dezembro"), todos deveriam colher flores e fazer miniaturas de pinheiros e pôr dentro de casa, e que no dia 25 de Dezembro, todos trocassem presentes, em homenagem ao nascimento do deus sol.   

             Ela alegava que um grande pinheiro havia crescido da noite para o dia, de um pedaço de árvore morta, que simbolizava o desabrochar da morte de Ninrode para uma nova vida. 

"Sacrificam sobre os cumes dos montes, e queimam incenso sobre os outeiros, debaixo do carvalho, e do álamo, e do olmeiro, porque é boa a sua sombra; por isso vossas filhas se prostituem, e as vossas noras adulteram."  (Oséias 4:13)

Amigo Secreto

 

             A brincadeira ocorre da seguinte forma: Cada participante tira um papel com o nome de outro participante, e não deve contar a ninguém quem é. No dia da brincadeira, através de dicas, os outros tentam adivinhar quem é. Quando isso ocorre, há troca de presentes. Quem recebe o presente é o próximo que dá as dicas, e assim sucessivamente.

          Acredita-se que a brincadeira venha dos povos nórdicos. “Amigo secreto - Um ritual nórdico”. Esperavam o amanhecer para trocar presentes e nesta troca diziam: Que você jamais esqueça dos deuses sobre nós. E o presente trocado servia para eternizar o pacto. Porém, é também uma brincadeira de costumes e tradições de povos pagãos. A brincadeira se popularizou no ano de 1929, em plena depressão, onde não havia dinheiro para comprar presentes para todos. Então se fazia a brincadeira para que todos pudessem sair com presentes.    

Podemos obsevar que esta brincadeira esta relacionada com o paganismo, que tem a ver com o ritual nórdico, com o objetivo de eternizar o pacto com os deuses.                                                                                 

"Tu, Senhor e Deus nosso, és digno de receber a glória, a honra e o poder, porque criaste todas as coisas, e por tua vontade elas existem e foram criadas" (Apocalipse 4:11)                                                                                                                                                               

Guirlanda

 

             A coroa verde adornada com fitas e bolas coloridas, que enfeita as portas de tantos lares, é de origem pagã. Como cita Frederick J. Haskins, em seu livro Answers to Questions: “A guirlanda remonta aos costumes pagãos de adornar edifícios e lugares de adoração para a festividade que se celebrava ao mesmo tempo do atual ‘Natal’. Na verdade, as guirlandas são memorial de consagração. Em grego é stephano, em latim corona.  Podem ser entendidas como enfeites, oferendas, ofertas para funerais, celebração memorial aos deuses, à vitalidade do mundo vegetal, celebração nos esportes, celebração das vítimas que eram sacrificadas aos deuses pagãos”
          Na Bíblia, apenas Roma fez uma guirlanda...E esta, foi colocada na cabeça de Jesus no dia de Sua morte. Feita como um símbolo de escárnio. Marcos 15:17

Bibliografia:

O Dia de Natal. A Grande Farsa. Disponível em:

https://julearauju.blogspot.com.br/2012/12/o-dia-de-natal-grande-farsaoseias-46-o_25.html

Ninrode, Samíramis & Tamuz "A família profana". Disponível em:

https://teseconspiracional.weebly.com/ninrode.html

A verdade estampada. Disponível em:

http://averdadeestampada.blogspot.com.br/2010/09/farsa-do-natal.html

Natal. Disponível em:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Natal

Qual é a origem do Papai Noel. Disponível em:

http://www.sitedecuriosidades.com/curiosidade/qual-e-a-origem-do-papai-noel.html

A verdadeira origem do Natal: guirlandas, presentes... Disponível em:

http://doa-a-quem-doer.blogspot.com.br/2013/12/a-verdadeira-origem-do-natal-guirlandas.html

Estudo Bíblico Sobre O Natal à Luz da Palavra de Deus. Disponível em:

http://www.estudosgospel.com.br/estudo-biblico-natal/o-natal-a-luz-da-palavra-de-deus.html